segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Psicologia e Gravidez: Tentando engravidar

“Aquelas que já se decidiram por gerar o dom da vida, por si só já são mães, pois carregam em si, a semente desse milagre.” Ao mesmo tempo em que essa frase traz uma sensação maravilhosa e linda, por traz dela há uma verdade: a decisão de ser mãe traz consigo muitas mudanças e uma expectativa que nem sempre é atendida conforme o sonho. Uma grande tristeza é gerada e a desilusão pode trazer consigo outros sentimentos que tornam-se uma grande bola de neve, fazendo parecer que cada vez a realização deste sonho está distante.

Quando recebo em meu consultório uma mulher que acabou de saber sobre sua gravidez e esta confusa com seus sentimentos, busco trabalhar o medo, os anseios e tudo o que envolve essa grande mudança, que por mais desejada que seja, transforma totalmente a vida do casal e como em qualquer outra situação de mudança, o medo prevalece.

Mas quando se trata de uma tentante, a palavra chave que pode-se usar para descrever sua tristeza é: frustração. Quando a frase inicial diz que o desejo já torna alguém mãe, refere-se ao fato de que a aceitação em ter um bebê, gera a expectativa de um ser, a imaginação de como tudo será já atua como uma forma de se preparar para as mudanças.

Porém, porque ao se desejar um bebê há tanta ansiedade?

O ser humano possui o que chamamos de “memória genética”, aonde, mesmo sabendo que temos que esperar, que é algo que não depende apenas do querer e etc. Essa memória atua com o instinto de sobrevivência da espécie e trazem o desejo, primitivo, de procriação e assim como no reino animal, não ter um filho pode gerar um sentimento de estar incompleto, de um ser que “pulou” uma das etapas do curso natural da vida. Mas é apenas o começo, pois para os ser humano há outras questões que aumentam essa tristeza.

Pois, de uma forma geral, quando um casal decide ter um bebê, há um cuidado, mesmo que sutil, ao pensar como será o ambiente que esse bebê crescerá, como será seu quarto, suas coisas, quais as tarefas que cada um realizará para cuidá-lo, quais as brincadeiras que ele gostará, quais as comidas, as roupas, os lugares, quais serão suas primeiras palavras e, por fim, qual será a sua aparência, seus olhos, cabelo, pele, bracinhos e etc. Enfim, quem e como ele será. E essa expectativa, se não atendida conforme o desejo gera uma frustração e como agüentar a ansiedade?

Pedir que um casal tentante relaxe é algo muito difícil, a mudança é muito grande pare simplesmente “esperar acontecer”. Como tentante, a mulher e o homem podem se preparar de diversas formas e curtir, aproveitar esta fase pode ser muito gostoso. Buscar orientação para mudar alimentação, exercícios e quais fatores mais podem ser administrados para auxiliar o casal e tornar esse momento algo melhor de se viver. Pesquise, torne o tempo juntos em momentos especiais e principalmente, não deixe as rotinas diárias de lado como a carreira, hobbies, amigos e etc. Dar continuidade à vida pessoal é essencial para que, caso o bebê demore a vir, e vocês sabem que não há nenhum impeditivo físico, hormonal e etc, o casal não irá perder sua individualidade e a ansiedade poderá ser controlada com o vazio preenchido.

E se descobrir que há uma dificuldade para engravidar? Ou que talvez eu nunca consiga ter um bebê, como superar? Ao receber essa constatação através de um médico, o casal passará pelas etapas de um luto, devida à perda dessa expectativa. As etapas são: negação, dor (raiva e depressão), culpa, aceitação e adaptação.

Se o caso for de dificuldade ou infertilidade, há alguns passos que devem ser pensados, mas um passo de cada vez e cada pessoa ao seu tempo:

  • Aceitar que há um problema – você poderá buscar auxilio de um profissional de psicologia, amigos, parentes, familiares e etc.
  • Deixar-se sentir a tristeza e raiva por isso ter acontecido - não são motivos de vergonha, você não estará desistindo, mas sim, assumindo que esse quadro o incomoda e que para se sentir melhor você precisa expressas sua insatisfação. Como? Escreva, divida sua dor com alguém, fale, participe (pela internet mesmo) de grupo de pais que passam pela mesma experiência;
  • Não busque motivo ou origem para explicar por que isso aconteceu, a não ser que o médico solicite – não se prenda à origem, mas sim à uma solução: há tratamento? Há alguma chance? O que posso fazer para superar a dificuldade e qual é o seu limite?

Há casos de casais que fazem tratamentos diversos por 8, 9 ou 10 anos e ao final de várias “batalhas”, vários procedimentos, receberam uma linda recompensa. Também deve-se lembrar que há lindas crianças que não tem o seu sangue, mas que precisam de amor, proteção e um coração para morar.

Se o seu caso for de tentante com ou sem dificuldades para ter uma gestação a ansiedade irá aparecer, pois as mudanças são grandes, então não deixe de demonstrar as suas emoções, com amigos, familiares e se necessário, como já foi dito, busque auxilio terapêutico com um psicólogo o importante é conseguir passar por essa etapa e estar emocionalmente preparado para as mudanças.

15 comentários:

  1. Adorei o texto, acredito que ira ajudar muitas meninas, pois não é facil controlar a dita cuja aciedade. Parabéns!!!

    Beijinhos

    Ieda

    ResponderExcluir
  2. Nossa gostei muito do texto,sinto toda essa anciedade....vai me ajudar muito,para tudo isso que sinto!!!
    bjusss!!!
    CATIA

    ResponderExcluir
  3. Parece que nada que eu leia irá me ajudar. Se não conseguir não quero adotar, nem me recuperar.

    ResponderExcluir
  4. Engraçado, eu sinto exatamente o mesmo, uma enorme tristeza e frustração e se não conseguir também não tenho vontade de seguir em frente. Parece que a minha vida não tem sentido nenhum.

    ResponderExcluir
  5. Hoje estou mto triste..sentimento de luto, perda de ser que eu nem conheci e nunca nem se quer ficou no meu ventre...meu sonho de ser mãe é mto grande, mais sempre fui deixando p depois e esse depois veio como uma bomba..explodiu o meu coração.A tal menopausa precoce.A minha frustação é tão grande que não quero fazer mais nada.Para quê, seguir com a carreira e tudo que ouço é trabalho p deixar meus filhos com mais conforto, ter uma vida melhor, para quê continuar com marido se não posso dar ele o filho que ele tanta deseja, melhor filha ele chega a sonhar de como será sua menininha...Faço tratamento já conseguir implantar dois embriões, mais não foi para frente..e agora a cada medicação parece que as coisas pioras...e agora tudo parece que acabou...minha ovulação acabou junto com minha vontade de viver.Peço a Deus perdão por essas palavras mais não sei p quem falar.As pessoas parece que entendem que ruim não ter filho, mais não entendem esse sentimento de luto que a gente está passando.Sei que isto vai passar, que mais para frente estarei melhor e quem sabe um milagre aconteça para todos nós..pois a força Divina é mta grande, preicipalmente sobre a mães...elas tem um lugarzinho reserva junto a Deus...Obrigada por esse espaço...

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Olá Lílian! Sou a Pâmella do Diário da Tentante, gostaria muito de publicar esse seu texto no Portal, aceita participar?? Se sim, por favor entre em contato: contato@diariodatentante.com
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  8. Realmente a cada mês que se aproxima cresce a expectativa e quando a menstruação chega um sentimento de revolta me toma conta e fico pensando porque comigo, será que nao sou merecedora de gerar uma criança, tanta mãe que abandona seu filho, machuca, fere estão por aí desfilando seus barrigoes e eu cheia de amor para dar a um bebe nao consigo, sei que a revolta e a pior conselheira mas pelo menos nos primeiros dias e difícil deixar para lá. Sou casada e sei que meu marido nao tem culpa mas parece que só eu sofro com isso acho que o fato dele ter uma outra filha de uma relação anterior nao crie essa expectativa afinal ele já e pai. Agradeço a quem criou esse espaço para que possamos desabafar tenho pai e irmãos mais confesso que nao tenho coragem de assumir perante a eles essa minha frustacao de nao engravidar.

    ResponderExcluir
  9. Realmente a cada mês que se aproxima cresce a expectativa e quando a menstruação chega um sentimento de revolta me toma conta e fico pensando porque comigo, será que nao sou merecedora de gerar uma criança, tanta mãe que abandona seu filho, machuca, fere estão por aí desfilando seus barrigoes e eu cheia de amor para dar a um bebe nao consigo, sei que a revolta e a pior conselheira mas pelo menos nos primeiros dias e difícil deixar para lá. Sou casada e sei que meu marido nao tem culpa mas parece que só eu sofro com isso acho que o fato dele ter uma outra filha de uma relação anterior nao crie essa expectativa afinal ele já e pai. Agradeço a quem criou esse espaço para que possamos desabafar tenho pai e irmãos mais confesso que nao tenho coragem de assumir perante a eles essa minha frustacao de nao engravidar.

    ResponderExcluir
  10. Mais um mês de frustração. Fiquei menstruada de novo e com isso foi embora a chance de engravidar mais uma vez. Cada mês de fracasso, implica que o tempo corre e meu corpo não responde como eu gostaria. Tento dizer a mim mesma que meu tempo já passou, mas no fundo, sinto que a esperança está em meu coração, como uma criança que brinca de esconde-esconde e fica em um cantinho da casa e que as pessoas demoram para encontrá-la. Mas eu sei que a minha esperança está lá, embora eu muitas vezes tente negar a sua existência. Basta fechar meus olhos e escutar meu coração para sentir a esperança escondida lá dentro em algum cantinho do coração. Tento viver o melhor possível, mas nesses dias, bate uma tristeza e parece que nada faz muito sentido. Evito falar o que sinto porque as pessoas não entendem a dor que carrego. Não quero mais ter esperança. É doloroso a cada mês. Meu Deus, dê-me força para superar tudo isso.

    ResponderExcluir
  11. É realmente muito sofrido, esse blog é interessante porque podemos compartilhar essa dor e ver quantas pessoas passam pelo mesmo problema que agente. As vezes lamento e sinto que só eu ñão posso ser mãe. No entanto, todo meu sentimento já foi expressado por outras mulheres que enfrentam o mesmo problema. Estou em tratamento e muito triste, a cada resultado negativo, peço a Deus que ajude a todas nós, que ele nos agracie com o dom da maternidade e que essa seja apenas uma pequena fase difícil de nossas vidas...

    ResponderExcluir
  12. É muito difícil qualquer situação, tenho um filho de uma relação anterior que não planejei e hoje estou tentando há dois anos e nada . peço Senhor que ilumine meu caminho para que eu saiba esperar a minha hora.

    ResponderExcluir
  13. Estou passando por um momento difícil, já esperei dois anos, fiz tratamento e até inseminação e nada deu certo, às vezes choro, questiono mas sei que tudo tem que ser pela permissão de Deus. Que o Senhor me ajude a superar.

    ResponderExcluir
  14. estou muito triste pois não entendo porque eu,não tenho mais forças nem animo pra nada
    não sei ate quando vou conseguir fica de pé pois sinto meu mundo desaba peço a Deus que mim der força só tenho vontade de jogar tudo pra o alto e sumir

    ResponderExcluir
  15. Imagina tudo isso descrito e vc ter 45 anos....O sonho não passa, a aceitação precisa acontecer.... mas a fé no impossível me faz continuar com o desejo de ser mãe biológica.

    ResponderExcluir